Caça Fantasmas (2016)

Tentando fugir do hype negativo, esperei para poder conferir com mais calma e com menos pressão de expectativa. Às vezes a tática funciona, outras nem tanto, mas vale tentar. Se funcionou ou não nesse caso, vem comigo que eu já te falo…

Caça Fantasmas

Título original: Ghostbusters (2016)

Dirigido por: Paul Feig

Duração: 1 hora 57 minutos
Gênero: Fantasia, Aventura, Comédia, Ação
País de origem: Eua
Classificação: 10 anos

Sinopse:  Atualmente uma respeitada professora da Universidade de Columbia, Erin Gilbert (Kristen Wiig) escreveu anos atrás um livro sobre a existência de fantasmas em parceria com a colega Abby Yates (Melissa McCarthy). A obra, que nunca foi levada a sério, é descoberta por seus pares acadêmicos e Erin perde o emprego. Quando Patty Tolan (Leslie Jones), funcionária do metrô de Nova York, presencia estranhos eventos no subterrâneo, Erin, Abby e Jillian Holtzmann (Kate McKinnon) se unem e partem para a ação pela salvação da cidade e do mundo.


Escrivinhando sobre o filme:

Levando em conta que se passa num universo em que os casos dos dois primeiros filmes dos anos 80 não aconteceram, e que não se refere a uma continuação ou mesmo um reboot, mas sim como uma homenagem ou mesmo uma nova abordagem ao tema, respeitando referências. Nesse sentido funciona muito bem. Seja nos looks, personalidades ou mesmo na trilha que resgata um pouco da essência dos primeiros filmes.

É divertido, meio bobo – mas os outros também eram quando revejo hoje. A motivação do vilão realmente não cola, mas ainda assim diverte. São atrizes muito boas em fazer humor/comédia, elas tem um timing muito bom, assim como uma energia boa juntas, mas tem algo que ficou faltando. Não sei o que foi, mas ficou um buraquinho, algo que não entregou, mas ainda assim funciona como um filme para ver e se divertir com a família. As personagens são interessantes, funcionam bem juntas e isso faz a liga que compensa os pontos fracos que possamos encontrar no caminho.

E sobre todo o burburinho que rendeu sobre as pessoas nem terem visto e já odiarem por ser um filme com mulheres, um grande e sonoro ME POUPE. O gênero não fez diferença no enredo da história a ponto de estragar algo ou ser uma afronta absurda. Mas faz diferença para que muitas meninas possam crescer com modelos nas telonas que passam longe de donzelas, princesas, garotas que só querem saber de encontrar o amor e serem salvas. É importante e muito saudável, oferecer papéis diferentes, como mulheres inteligentes que não ficam em função do sexo oposto ou do que a sociedade julga como feminino. Cresci num universo em que os personagens mais legais, aventureiros e divertidos eram vividos por homens, e no contraponto disso as mulheres ou eram em sua maioria aquele esteriótipo feminino, delicado e frágil, ou pulavam para algo sexualizado ao extremo (Exemlpo de Elvira a Rainha das Trevas) ou já iam ao quase masculinizado (Ripley de Alien ou a Sarah Connor do Exterminador – que pula de mocinha do primeiro filme para uma brucutu no segundo filme). Mas ter variedade de papéis e personagens, opções para encontrar algo que fale ou represente algo mais próximo de você, isso importa e muito. Seja em relação a gênero, cor, ou qualquer que seja o caso.

É triste ver gente que nem viu e já dizer coisas horríveis, ou pessoas que já vão ver pensando em detonar o filme. Cá entre nós os antigos não eram essa maravilha toda, quando a gente revê hoje em dia. Eles são divertidos e nostálgicos? Sim, claro que são! Eu mesma paro para rever vez ou outra. Mas se você olhar bem, vai notar que também tem furos no roteiro, que os personagens não evoluem ou que mudam de profissão completamente como é o caso da personagem da Sigourney Weaver, mas ele diverte, muito mais pelo fator de nostalgia que sentimos ao lembrar da infância e de quando assistimos pelas primeiras vezes.

Em resumo, vale como filme leve para divertir, rir um pouco e matar um tempo comendo pipoca e rindo ao encontrar as referências e homenagens. Mas não vale se você for ver com aquela idéia formada de que vai ser ruim por que são elas… ou de que será uma obra prima do cinema. É sessão pipoca!

 


Trailer:

 

Deixe seu comentário

%d blogueiros gostam disto: