The Ouija Experiment

Tem alguns filmes que a gente meio que entra numa conversa e acaba vendo, mesmo sabendo que vais ser ruim, mesmo com a certeza de que vai ser uma total perda de tempo e de vida. Mas quem nunca, não é mesmo?

E eu tenho um mestre de me fazer passar por isso em casa. E ele tem um dom para escolher alguns filmes que vão me dar vontade de chorar, dormir, ou simplesmente ir fazer qualquer outra coisa no mundo só para poder fugir daquela experiência. Um exemplo bem real e triste disso foi ver o filme The Ouija Experiment.

ouija

Sinopse:

Cinco amigos decidem filmar suas sessões experimentais com uma tábua de Ouija, em uma tentativa de criar um vídeo viral para torná-los famosos. Um drama pessoal faz com que os membros do grupo se esqueçam de manter o foco em regras importantes do jogo e logo liberam entidades perigosas de outro mundo.

A premissa é ruim, bem clichê, mas você pensa que é possível dar uma chance e tenta ignorar todos os sinais de que nada de bom vai sair dali. Seja pela gravação bem tosca, mas que ainda meio que se justifica pelo fato de ser algo que se diz caseiro com uma linha found footage, ou pelas atuações pífias que chegam a dar mais vergonha alheia que as desgastadas vídeo  cacetadas da tv aos domingos, nada ali se salva. É realmente triste ver o tempo passar e estar ali vivenciando a vida se esvair enquanto o filme não acaba e a trama só piora.

Sério que eu tentei entender a lógica toda do filme, mas foi difícil. Foi ainda mais sofrível descobrir que aquilo não era o pior de tudo, mas que havia uma continuação. Sim, uma continuação ainda mil vezes pior que faria ainda menos sentido e com ainda menos recursos.

the-ouija-resurrection.34232.png 

Sinopse:

Um grupo de jovens fica preso em um teatro graças à intervenção de um espírito maligno, libertado através de um tabuleiro Ouija.

Olha essa sinopse, olha isso…

Dessa vez nem 10 minutos de filme já me fizeram pular da poltrona e buscar qualquer coisa que me tirasse dali. Fui fazer bolo, tomar banho, dançar zumba… Qualquer outra atividade que me tirasse da sala, ainda que me fosse contado o que estava acontecendo e o quão absurdo e ridículo eram as situações. Voltei para ver alguns trechos a pedido, mas doeu ter que ver aquilo. Nada fazia o menor sentido, as atuações eram ainda mais canastronas e cada vez mais vergonhosas. E ainda para piorar ainda jogou todo o primeiro filme pelo ralo e protocolaram o nosso papel de trouxa.

Fuja para as colinas. Corra o quanto puder, mas não veja essas duas bizarrices. Sério, são horas da sua vida que não podem ser devolvidas e coisas que não podem ser desvistas. Não confie nas indicações do Netflix de filmes de terror que você possa gostar, eu estou até agora tentando entender qual algoritmo que resolveu me trollar e me indicou esse filme. Sério, mal serve como comédia porque ele é tão tosco que chega a ofender a inteligência do espectador.

0 Comments

  1. Pingback: Dark Circles – Noites em claro – Olheiras (2013) | Box of Me

  2. Pingback: Top 7 – filmes para se esquecer | Box of Me

Deixe seu comentário

%d blogueiros gostam disto: