Tag Archive: Filmes

Logan

 

Daí você se prepara para ver o último filme do Hugh Jackman como Wolverine, imagina que vai ser bom depois de criar expectativa com o trailer e o hype. Mas será que vai ser realmente essa coisa toda? Vem ver…

Resultado de imagem para logan poster cinema nacionalLOGAN

Título original: Logan (2017)

Direção: James Mangold

Roteiro: Michael Green, David James Kelly

Sinopse: Em 2024, os mutantes estão em declínio e as pessoas não sabem o motivo. Uma organização está transformando as crianças mutantes em assassinas e Wolverine, a pedido do Professor Xavier, precisa proteger a jovem e poderosa Laura Kinney, conhecida como X-23. Enquanto isso, o vilão Nathaniel Essex amplia seu projeto de destruição.


Trailer:


Sobre o filme:

Depois de 17 anos acompanhando Hugh Jackman como Wolverine, chegou a hora de se despedir dessa dupla. Foi também a despedida do querido Isaac Bardavid como dublador deste personagem depois de tantos anos (23 anos) dando voz e vida ao personagem carrancudo e tão amado.  Ninguém disse que seria fácil, e realmente não foi, mas pelo menos foi em um filme que honrou e deu ao personagem e ao público um encerramento digno e emocionante.

Logan não é um filme sobre heróis, mas sim um filme sobre a vida, sobre envelhecer e também sobre amizade e companheirismo. Ele tem mais do que uma história de ficção de mutantes com poderes, fala de superar e sobre perder. E assim como essas coisas não são fáceis mas dolorosas, também é o filme – de uma forma boa. Mas muita calma, ainda é um filme com e do Wolverine, então tem sim muita ação e violência, então essa mistura entre o drama e a pancadaria são feitos de um forma tão bem feita que se justifica dentro da trama.

Essa despedida não só de Logan, mas também de Patrick Stewart como Professor Xavier e talvez até de uma fase dos X-Men como tínhamos até o momento – um futuro novo reboot quem sabe? Mas o importante é que aqui temos um filme que valeu a espera. E mais uma coisa, o choro e a emoção são livres.

La La Land : Cantando as Estações

Numa ansiedade enorme para conferir nos cinemas o filme que vem se destacando e colecionando indicações. E Já aproveitando que se trata de um musical com cara de nostalgia pura, aproveitei e conferi na sessão Drive-In lá no Cine Belas Artes Caixa, com direito a banco de carro e conforto com uma pegada retro. Os únicos poréns são: a sala fica um pouco clara porque a lanchonete fica funcionando durante a sessão, e a reprodução não ser em alta definição plena. Mas esses dois eu decidi relevar pela experiência da sala e filme como um todo.

La La Land – Cantando as Estações

Título original: La La Land (2016)

Dirigido por: Damien Chazelle

Duração: 2h08min
Gênero: Drama / Romance / Musical / Comédia
País de origem: EUA
Classificação: Livre

Sinopse: Mia, uma aspirante a atriz, e Sebastian, um talentoso músico de jazz que está se dedicando a carreira, se encontram em uma cidade conhecida por destruir esperanças e quebrar corações. Em busca de oportunidades para suas carreiras, os dois jovens tentam fazer o relacionamento amoroso dar certo enquanto perseguem fama e sucesso.


Escrivinhando sobre o filme:

Mesmo com a expectativa no nível alto, devido tantas resenhas e indicações, não houve espaço para decepção. Imagina um misto de uma leveza, uma brisa de esperança e de sonhar, pois bem foi assim que funcionou comigo. Logo eu, que sou apaixonada por musicais ao estilo clássico da era de ouro de Hollywood, fiquei como? Lágrimas nos olhos definem da emoção de tanta delicadeza e beleza. Não só esteticamente, como o roteiro é lindamente executado.

Lembra a magia que o cinema pode proporcionar ao espectador. Com um roteiro que desafia a realidade bruta e busca o sonho e a realização desses sonhos, não se deixando engolir por um mundo que devora os sonhos para que eles se encaixem no que é considerado viável e aceitável. Indo contra a corrente da correria e do fazer por fazer para atingir algo que não é parte de você, mas ditado pelo senso comum do que é sucesso ou mesmo felicidade. É preciso que sonhemos, e não apenas isso, que tenhamos a coragem de ir atrás, mesmo que pareça louco ou irracional, sonhar é preciso.

Esse filme é um pouco sobre isso. Sobre como poder sonhar é manter a magia viva dentro de nós. Sobre como realizar esse trajeto pode ser demorado e doloroso, mas válido. E como ter pessoas que comprem essa idéia com você pode fazer a diferença. Senti que é muito sobre possibilidades/probabilidades, como as coisas acontecem de acordo com as escolhas e como tudo pode ser algo diferente a partir de uma escolha diferente.

Emma Stone sempre me deixa apaixonada em seus filmes – mesmo os mais bobos me ganham por ela. Ela parece nem estar atuando, é como se fosse ela mesma, ali toda fofa e sonhadora. Ryan Gosling consegue encantar sendo do cara mais dramático ao mais romântico e sonhador. Os dois juntos tem algo que desconcerta, que deixa você rendido e esperando pelo que virá. Sejam dançando, cantando, ou em pleno silencio enquanto se entreolham. E dá para ver que o Diretor Damien Chazelle sabe o que está fazendo, que sabe lidar com música como elemento principal~, até porque ele já tem no seu currículo o aclamado Whiplash. Dá para notar tantas referências e homenagens aos clássicos, para uma conferida tem até um vídeo que junta algumas referências bem claras que o longa faz. Dá uma olhada no vídeo:

Enfim, tentar falar sobre sem contar o final é realmente um desafio que está me torturando a esse ponto. Mas de maneira geral, mesmo que você não goste de musical como gênero, se tiver a mente aberta e se permitir experimentar, pode ter a mais grata surpresa ao assistir La La Land.


Trailer

Lista de Filmes para Ver

O mundo cinematográfico é cheio de filmes novos lançados o tempo todo, mas nem todos chegam até nós com a mesma divulgação, na verdade muitos nem chegam ao nosso conhecimento, ainda mais se você não vai buscar. Sejam produções pequenas, independentes ou apenas por decisão dos estúdios ou distribuidoras, a lista é grande.

Estava vendo trailers de filmes que quero ver em 2017, lançamentos que estão por vir nesse ano, e de repente me deparei com vários filmes que chamaram minha atenção mas que são de anos atrás e que eu nem mesmo tinha conhecimento. Daí comecei a listar para poder correr atrás deles para conferir, tem de tudo um pouco e com atores que costumam chamar audiência ou pelo menos atiçam curiosidade por estarem no hype. Alguns até chegaram, mas passaram meio despercebidos e se você não ouviu falar, nem viu o trailer, acho que pode se interessar com essa espiada. Separei 7 filmes para compartilhar:

 

1- A Luta Por Um Ideal / Won’t Back Down (2012)

Inconformadas com a situação precária da escola de seus filhos, uma professora e uma mãe unem forças para lutar por um futuro melhor para as crianças de sua comunidade.

 

2 – As Palavras / The Words (2012)

Um famoso autor em crise conta a história de seu mais novo livro. Com dificuldades para publicar seu primeiro romance, ele encontra um antigo manuscrito sem dono e decide publicá-lo como se fosse seu.

 

3 – Dois Lados do Amor / The Disappearance of Eleanor Rigby (2014)

Conor Ludlow e Eleanor Rigby são casados, mas a dor de um trágico acontecimento a faz deixar o marido. Enquanto ela tenta recomeçar, ele tenta reencontrar o amor desaparecido e entender o que de fato aconteceu.

 

4 – Regressão / Anna (2014)

Anna Greene, 16 anos, é filha de um dos casais mais ricos dos Estados Unidos. A inteligente e manipuladora jovem acaba de passar por um grande trauma relacionado à sua família. Para investigar o caso, é convocado o detetive John Washington, que tem o poder de entrar na mente das pessoas. Cabe a ele determinar se Anna é inocente ou uma sociopata capaz de assassinato.

 

 

5 – Lições em Família / Wish I was Here (2014)

Aidan Bloom é um ator, pai e marido, que com 35 anos ainda sonha em encontrar sua identidade ou um propósito para sua vida. Aidan e a esposa sofrem financeiramente e a relação não melhora com o fato de que ele passa boa parte do tempo sonhando em ser um grande e futurístico guerreiro espacial, um sonho seu desde pequeno.

 

6 – Encalhados / Laggies (2014)

Quando uma jovem mulher irresponsável e imatura (Keira Knightley) recebe um pedido de casamento de seu namorado, ela entra em crise. A primeira ideia é fingir que precisa fazer um retiro em busca de auto conhecimento profissional, mas de fato ela se esconde na casa da sua nova melhor amiga, a adolescente Annika (Chloe Grace Moretz).

 

7 – A Autópsia / The Autopsy of Jane Doe (2016)

Tommy Tilden (Brian Cox) e Austin Tilden (Emile Hirsch), seu filho, são os reponsáveis por comandar o necrotério de uma pequena cidade do interior dos Estados Unidos. Os trabalhos que recebem costumam ser muito tranquilos por causa da natureza pacata da cidade, mas, certo dia, o xerife local (Michael McElhatton) traz um caso complicado: uma mulher desconhecida foi encontrada morta nos arredores da cidade – “Jane Doe”, no jargão americano. Conforme pai e filho tentam descobrir a identidade da mulher morta, coisas estranhas e perigosas começam a ocorrer, colocando a vida dos dois em perigo.

 

Se você já assistiu algum, ou se tem mais dicas para filmes que passaram desapercebidos compartilha nos comentários a sua opinião.

Lembrando que também estamos no Facebook e você também pode falar com a gente através do nosso e-mail.

A Colina Escarlate

Depois de muito ouvir e ler criticas e reclamações, mesmo com dois atores que eu admiro e que geralmente rendem bons filmes e do próprio Guilhermo Del Toro carregar o filme com seu nome e visual. Fui desesperançosa e com muitas dúvidas sobre o que veria – lembrando como me senti em relação ao MAMA, que me deixou um pouco desapontada. Ainda assim, tentei ir com a mente aberta, sem julgar …


A Colina Escarlate

Título original: Crimson Peak (2015)

Dirigido por: Guilermo Del Toro

Duração: 119 minutos
Gênero: Fantasia, Drama, Terror, Suspense
País de origem: Canadá e EUA
Classificação: 16 anos

Sinopse: Apaixonada pelo misterioso Sir Thomas Sharpe (Tom Hiddleston), a escritora Edith Cushing (Mia Wasikowska) muda-se para sua sombria mansão no alto de uma colina. Habitada também por sua fria cunhada Lucille Sharpe (Jessica Chastain), a casa tem uma história macabra e a forte presença de seres de outro mundo não demora a abalar a sanidade de Edith.


Escrivinhando sobre o filme:

A atmosfera do filme é muito interessante, as cores, cenários, figurinos, visual e sonoramente o filme encanta, como já havia sido observado por várias pessoas. O roteiro promete o suspense seguido de um terror, mas faltou algo.

A química entre Sir Thomas Sharpe (Tom Hiddleston) e Edith Cushing (Mia Wasikowska) é quase inexistente, não tem veracidade ou mesmo dá liga, deixa uma impressão clara de atuação, não faz com que o espectador se importe ou relacione com os personagens. E ver a Jessica Chastain tão desperdiçada, quase apagada em tela, chega a dar uma tristeza. Ainda assim eu segui tentando não julgar, chegar até o final de mente aberta, foi difícil, mas me esforcei. Edith parecia uma personagem forte e predestinada, com seus sonhos e convicções, mas depois vira uma mocinha tola que se deixa levar do nada por uma “amor” que não exala nem amor, nem paixão. É estranho, é acelerado para que as coisas aconteçam mais rápido e fica solto e perdido.

No geral, não é um mal filme, não mesmo… mas foi executado de forma questionável. Todo o cuidado com o visual foi deixando a trama em segundo plano, e ficou largado e previsível até certo ponto. Levando em conta o visual e as ambientações, eu gostei, mas realmente não sei se assistiria mais vezes – talvez alguns trechos para suspirar novamente nos figurinos. Mas não é tão ruim a ponto de gongar ele para minha lista dos piores filmes… Literalmente já filmes bem horríveis, e esse é bonito e bem feito pelo menos.


Trailer:

Podcast Deu Na Caixola – #03 – O Iluminado

E nesse terceiro episódio do podcast Deu Na Caixola, Claudia Poulain e Rafael Pedago trazem uma conversa sobre o clássico filme O Iluminado, do Stanley Kubrick, baseado no livro do Stephen King.

Em uma conversa solta e descompromissada, comentando um pouco do filme, do livro e das impressões de rever depois de tantos anos essa obra prima do cinema. Comparando um pouco com o livro e as atuações de Jack Nicholson  e Shelley Duvall nessa adaptação.

Vem com a gente nessa conversa, compartilhe sua opinião, mande um feedback para o podcast poder conhecer melhor quem está fazendo parte dessa história que estamos começando através do nosso Facebook do Box Of Me ou a página do podcast, nossas redes sociais estão à disposição. Assim como o nosso e-mail.

E-mail

contato@boxofme.com.br


Redes Sociais do podcast:

Indicações feitas no programa:

Listando filmes que queremos ver em 2017

Preparando para esse ano conseguir assistir tudo que eu quero, por que não fazer uma listinha básica!?
Ela pode ser ampliada a qualquer momento, sempre, na verdade – mas seguem apenas os lançamentos de 2017 que eu mal posso esperar para poder assistir:

Moana – Um mar de aventuras (5 de janeiro)

La La Land – Cantando as estações (19 de janeiro)

Estrelas além do tempo (19 de janeiro)

A torre negra (23 de fevereiro)

Jackie (23 de fevereiro)

Logan (2 de março)

A Bela e a Fera (16 de março)

Ghost in the Shell (30 de março)

Guardiões da Galáxia 2 (5 de maio)

Alien Covenant (19 de maio)

Mulher-Maravilha (13 de julho)

Homem Aranha – De volta ao lar (28 de julho)

Thor – Ragnarok (2 de novembro)

Liga da Justiça – Parte 1 (16 de novembro)

Star Wars – Episódio VIII (15 de dezembro)

 

E você? Quais filmes adicionaria na lista?!

Alguma dica?

Fale com a gente!

Deu na Caixola – Episódio Piloto – Footloose

itunes pic
Nesse episódio piloto, Claudia Poulain e Rafael Pedago conversam sobre o filme clássico dos anos 80, FOOTLOOSE.
Um clássico da sessão da tarde revisto nos dias de hoje.
Será que ele passa pela regra dos 15 anos? E se faz ou não sentido?

Venha ouvir e fazer parte dessa conversa.

Envie seu comentário, seu feedback é muito importante!
E-mail: contato@boxofme.com.br

Conheça também o nosso blog: www.boxofme.com.br

Top 7 – filmes para se esquecer

Brincando de fazer umas listas, mas indo além de falar dos favoritos ou dos menos queridos… vou começar com uma lista de filmes que eu ainda não sei porque resolvi ver, mas nada de guilty pleasure ou de filme que eu me arrependo de ter visto. É filme nível esquecer que viu mesmo.

Por pior que tenha sido, a gente guarda algo, lembra que era ruim por um motivo ou que algo até se salvava… Mas acontece de algumas vezes nem isso rolar e só restar aquela sensação de culpa, misturada com uma vergonha e daí vai para o limbo da memória. E olha que eu sou assumidamente consumidora de coisas trash, mas tem alguns que nem se aplicam nisso, alguns só são ruins e ponto.

Vamos chamar de “Filmes esquecidos”. E eu confesso que muitos eu só lembro porque eu já tinha marcado no Filmow. Vamos ao top 7: (mais…)

Dica de filmes: O Clube das Desquitadas / The First Wives Club (1996)

Um filme que junta as divas das comédias e comédias românticas dos anos 80 e 90. Minhas divas, pelo menos, que esbanjam beleza, simpatia e muito talento. E um filme na linha das mulheres descobrirem seu poder e sua força …de um empoderamento que não tem hora ou idade…e sim força de vontade. Eu uso referências desse filme até hoje, assim como de tantos outros. Adoro ver e rever, por isso segue como dica! (mais…)

Orgulho e Preconceito e Zumbis (2016)

Esperei para ver o filme bem depois. Em especial pelo fato de ter lido o filme e ter aquele medo de decepção braba. Depois daquele Abraham Lincoln caçador de vampiros,  que era a mesma linha, eu confesso que fiquei com mais pé atrás do que qualquer coisa. Eu sei que a referência não é das melhores, visto que nem o livro era aquela coisa que se diga maravilhas, mas doeu mesmo assim ver um filme ainda pior. Mas voltando ao filme que vim falar sobre… (mais…)

%d blogueiros gostam disto: